Design e Construção

Lixo da construção civil pode ser reciclado e baratear custos

Uma oficina em Maceió (AL) desperta operários e empresários para novas oportunidades de negócios

Operários da construção civil em Maceió, Alagoas, empresários e outros profissionais do setor aprendem a reciclar o lixo das construções utilizando o design como diferencial. Até o dia 8 de dezembro eles participam de uma oficina de Ecodesign, que tem como principal objetivo despertar os participantes para a responsabilidade social e as oportunidades de negócios que podem ser geradas a partir da gestão ambiental.

A quantidade de entulho produzida diariamente no Brasil é praticamente igual à gerada pelo lixo doméstico, que é de 240 mil toneladas. Na maior parte, são resíduos que poderiam ser reaproveitados, mas que acabam na lata de lixo ou poluindo terrenos e rios.

Mas, o que as pessoas chamam de lixo pode ser matéria-prima. Um dos objetivos da oficina realizada em Maceió é despertar as empresas não apenas para a responsabilidade ambiental, mas para as oportunidades de negócio que podem ser geradas a partir do reaproveitamento desses materiais e, mais ainda, auxiliar os empresários para o atendimento a nova resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA), nº 307, em vigor a partir de 1º de janeiro de 2005, que determina que todas as construtoras do País deverão encontrar uma solução para o entulho que geram, sendo responsáveis pela coleta e destinação dos resíduos da construção civil.

“Nem tudo pode virar pó, como é o caso do PVC e outros plásticos. Vamos ajudar os empresários a pensar em um novo produto para esses resíduos”, afirma Marta Melo, coordenadora do Laboratório de Design do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas em Alagoas (Sebrae/AL).

Uma das vantagens na utilização desses resíduos seria o barateamento de custos das obras. “Alguns desses resíduos podem ser reutilizados dentro das próprias construções, transformados em pisos e componentes para argamassa”, justifica Marta.

Mestres da Obra

Na área social, a oficina realizada em Maceió visa despertar a consciência ambiental nos operários que trabalham para as construtoras, parte importante do processo. Durante dois dias eles participaram de atividades criativas para o desenvolvimento de produtos gerados a partir dos resíduos produzidos pelas empresas.

O trabalho está sendo desenvolvido por consultores da empresa Estúdio Brasil, vencedora do Prêmio Amanco - premiação que contempla os cinco melhores e mais representativos projetos de responsabilidade social da construção civil.

As ações são inspiradas no projeto Mestres da Obra, que tem como principal objetivo promover a inclusão dos funcionários por meio de processos educacionais, envolvendo, entre outras coisas, consciência ecológica, saúde e relações de trabalho. “As empresas precisam perceber que essa é também uma importante ferramenta de marketing”, afirma Arthur Zobaran Pugliese, diretor do Estúdio Brasil.

“A responsabilidade sócio-ambiental pode ser um diferencial em relação aos concorrentes, já que ações com foco no desenvolvimento sustentável rendem uma boa imagem junto ao público”, afirma Kátia Rebelo, coordenadora do Núcleo de Design para o Habitat, formado por representantes do Sebrae e da Fundação Educacional Jaime de Altavila (FEJAL), responsável pela ação junto às construtoras de Maceió.

Nesta quarta-feira, à noite, os consultores do projeto e empresários participarão de uma mesa redonda para discutir as formas de reaproveitamento dos resíduos. No dia 8 de dezembro será realizada uma exposição, em Maceió, dos produtos desenvolvidos pela oficina.


Serviço:
Sebrae Alagoas
(82) 216-1660
Kátia Rebelo
(82) 9971-9016