Criatividade

Oficina Idealab estimula criatividade e inovação entre alunos e professores do IFAL

Capacitação utilizou ferramentas como blocos de montar, dinâmicas e apresentação teatral

Para desenvolver e estimular a criatividade, além de identificar, desenvolver e transformar as ideias dos empreendedores em novos projetos e novos negócios, o Sebrae em Alagoas desenvolveu a Oficina Idealab. Nesta semana passada, essa metodologia foi aplicada para alunos do ensino técnico e superior do Instituto Federal de Alagoas (IFAL) Campus Maceió, além de alguns professores.

Naquele momento, a Idealab foi ministrada por Adriana Gonçalves, analista da Unidade de Gestão de Compras do Sebrae em Alagoas, que aplicou a metodologia utilizando técnicas de capacitação de forma leve e criativa, oferecendo aos participantes a oportunidade de trabalhar em suas áreas de interesse, aprendendo ferramentas e práticas de suporte ao desenvolvimento de suas ideias.

Com encontros diários de quatro horas, os participantes foram divididos em grupos e utilizaram ferramentas como blocos de montar, dinâmicas e apresentação teatral para desenvolver ideias que fossem relevantes para as suas áreas de atuação as que dialoguem com os seus territórios.

“A Idealab mostra aos participantes que criatividade todo mundo tem, faz parte do ser humano e pode ser desenvolvida. Para tal, separamos grupos que trabalharam na criação de um projeto focado em territórios, como bairros, cidades ou alguma deficiência encontrada em ambientes comum ao grupo. Os projetos feitos pelos grupos abordaram temas como sustentabilidade, revitalização do bairro do Jaraguá e sobre mobilidade urbana e segurança pública”, frisou Adriana Gonçalves.

Ideias

Uma das equipes apresentou um aplicativo que ajuda a solucionar problemas em relação à mobilidade urbana, como violência sofridas por pessoas que ficam vulneráveis enquanto esperam um ônibus, a apresentação de painéis com horários e alertas de proximidade. A equipe, que apresentou a ideia a partir de uma pequena peça teatral, foi liderada pelo professor do IFAL, Jacksiel de Abreu, mestre em engenharia industrial.

“O curso foi bastante proveitoso, interativo e dinâmico. Abordou conceitos, mas também trouxe a parte prática. Enquanto professor, sempre busco me capacitar para tornar as aulas mais dinâmicas como o próprio Idealab. Tenho aulas técnicas, mas sempre busco novas técnicas para apresentar os conceitos da eletrotécnica de maneira mais dinâmica e, assim, integrar os alunos em um só propósito que é repassar conhecimento. Foi uma oficina real, com conhecimento que vamos levar para a vida”, destacou o professor.

Willian Lucas Alves, aluno do curso de Eletrotécnica e membro da equipe, lembrou que o Idealab ajudou a trazer novos conhecimentos. “Enquanto aluno do IFAL, já participei de um projeto de pesquisa e esse curso do Sebrae me ajudou bastante a entender um pouco mais o que é pesquisa, como analisar e entender um projeto. Também me ajudou a observar os pontos positivos e negativos, saber como um projeto pode ajudar pessoas”, afirmou.

De acordo com Matheus Mikael, aluno do curso técnico de Mecânica, a oficina também ajudou a reforçar a importância de realizar um trabalho em equipe e compartilhar ideias. “A oficina foi fantástica. Começamos brincando, mas vimos que isso é algo sério. Aprendemos muito com a vivência com os outros grupos, sendo isso algo muito importante, pois muitas vezes vamos desenvolver um projeto, uma ideia e não conseguimos transmitir e envolver outras pessoas. Com a ajuda dos professores e dos grupos, as ideias fazem muito mais sentido do que no início”, concluiu.

Avaliações

Cada projeto foi avaliado por mentores externos, que não participaram da oficina e fizeram uma avaliação observando a viabilidade real de cada ideia, dando uma visão mais técnica do trabalho feito pelas equipes. Um deles foi Flávio Medeiros, coordenador do departamento de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação do IFAL Campus Maceió, que reforçou o motivo de levar o Idealab ao instituto.

“Sempre vi a necessidade de trazer essas noções de empreendedorismo para os nossos alunos para que eles pudessem desenvolver as ideias deles. Dentro da sala e na exposição que temos aqui, vemos trabalhos interessantes, mas muitas vezes os alunos não percebem que esses projetos podem ultrapassar as fronteiras do IFAL. Esse foi o principal motivo de trazer essa oficina, além de incentivar a inovação entre os participantes”, finalizou Flávio Medeiros.