Resultados

Projeto Crescer no Campo Leite e Derivados supera metas de 2019

Resultados fortalecem o segmento e evidencia o trabalho dos produtores que participaram de consultorias técnicas e gerenciais do Sebrae

O Projeto Crescer no Campo – Leites e Derivados -, do Sebrae em Alagoas, comemora as várias metas superadas, após dois anos de um trabalho intenso com produtores de leite e laticínios. Entre elas estão o aumento do volume de leite processado nos laticínios e da produtividade; a obtenção de registro nos serviços de inspeção de produtos de origem animal (SIM, SIE, SIF), por cinco estabelecimentos; além do aumento da produtividade média das vacas. Outra meta relevante para o mercado alcançada foi a obtenção de 75% dos produtores atendidos com consultorias técnicas e gerenciais, realizando controles zootécnicos.

Para aumentar o volume de leite processado nos laticínios trabalhados pelo projeto em 25%, foram executados alguns procedimentos como a realização das Fiscalizações Preventivas Integradas (FPI). Isso contribuiu para a geração de novas demandas para o Sebrae e para o Senai/AL, que apoiaram os laticínios com a regularização através da elaboração de projetos e orientações.

“Ao buscar a regularização, os laticínios tiveram que fazer reformas ou construir novas plantas. Nessa fase, acabam aumentando a capacidade de processamento, ou seja, volume de leite efetivamente processado e diversificam o mix de produtos, além de gerar mais postos de trabalho. Tem sido comum os empresários alegarem maior facilidade para vender os seus produtos em relação ao período anterior à adequação dos empreendimentos à legislação”, ressaltou Marcos Fontes, gerente adjunto da Unidade de Agronegócios do Sebrae em Alagoas.

Sobre o aumento da produtividade nos laticínios atendidos pelo projeto, a meta era chegar a 15%, mas os estabelecimentos tiveram um aumento significativo de aproximadamente 30%. 15% também era a meta para o aumento da produtividade média das vacas (litros/vaca/dia), mas houve um aumento de 75%.

Marcos Fontes também destacou o quanto o Projeto Crescer no Campo foi importante para o crescimento da competitividade das empresas atendidas. “A produção de leite e o seu processamento são atividades importantes para o agronegócio local, principalmente no semiárido, gerando emprego e renda o ano inteiro. Para se manter competitivo nesta atividade é preciso ter escala, qualidade e custo baixo. O propósito do projeto é contribuir para que produtores de leite e pequenos laticínios se tornem cada vez mais competitivos. Com o projeto, vimos que os produtores que receberam as consultorias por mais tempo tiveram aumento de 49% na produção de leite e os que receberam num espaço menor de tempo, tiveram apenas 11%”, afirmou Fontes.